quinta-feira, 19 de maio de 2011

QUANDO POSSÍVEL

Por esses dias tenho pensado muito numa improvisada exposição literária que vi, ano passado, em Paris. Acho que é por saudades de lá. Tratava-se de uma coletânea de fragmentos, escritos à mão em cartolinas toscas e dispostos, sem muita ordem, numa grade da Rue de Vaugirard. Eram centenas de pequenos textos, que pareciam ter sido colhidos aleatoriamente entre as obras mais notáveis da literatura universal. Víamos ali Dostoievski , Poe, Verne, Huxley, Kipling, Saramago, e até o nosso Drummond. Todos devidamente traduzidos para o francês, talvez pelo anônimo autor da estranha letra que constava nos “cartões literários”. 

Em meio a tantos nomes conhecidos e textos consagrados, um pequeno poema, de um autor estranho, me marcou para toda vida. Estava num canto, espremido entre um poema de Petrarca e um recorte de Bernanos, um pequeno poema intitulado “Autant que Possible”, atribuído a um certo Constantin Cavafy [também grafado, Konstatínos Kavafís], que mais tarde descobri ser um grande poeta grego, outro daqueles que não nos são permitidos conhecer, por falta de tradução. 

Compartilho aqui, uma foto do Autant que Possible e a tradução livre que fiz para divulgação.

clique na imagem para ver em tamanho original


QUANDO POSSÍVEL

Se não lhe é possível viver como você gostaria
cuide, pelo menos, de não reduzir sua vida
ao excessivo contato com as pessoas
multiplicando gestos e palavras.

Não banalize a vida, indo de um lado para outro,
expondo-se à estupidez das relações humanas
no cotidiano das multidões, para que ela (sua vida)
não se transforme em uma inconveniente estranha.

[Constantin Cavafy, 1863-1933]

***

Às vezes caminho pela Rua das Laranjeiras, na esperança de achar algo semelhante. Até hoje, nada. Acho que é só saudade de Paris. 

54 comentários:

  1. O poema desde Constantin Cavafy é muito lindo mesmo... É uma pena que não seja conhecido por aqui... A exposição deve ter sido maravilhosa... Ah, e adoro Drummond!

    ResponderExcluir
  2. Que poema lindo! Já que você traduziu livremente, vou interpretar com a mesma liberdade: GENTE, VAMOS VIVER NOSSA VIDA, SEM NOS IMPORTAR COM O ALHEIO. CADA UM TEM SUA HISTÓRIA PARA VIVER, E NÃO FAZÊ-LO, ALÉM DE MEDÍOCRE, FAZ MAL PRA ALMA, TANTO A PRÓPRIA, QUANTO À ALHEIA!

    Adorei!

    http://estacaoprimeiradosamba.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. O poema é lindo! E ele fala por si...

    ResponderExcluir
  4. Belo poema! Que ótima experiência que você compartilhou. Parabéns pelo Blog.

    Depois dá uma passa no meu.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Adriano, parabéns pelo blog.
    O poema de Cavafy é lindo, aliás vi o filme sobre a vida dele ontem

    Abraço
    http://cinemaparceirodaeducacao.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Lindo Poema.. não conhecia Constantin Cavafy ... mAs GoSteI! ;D


    Otimo blog hein, parabéns.

    ResponderExcluir
  7. Um ótimo estimulo para minha anti-sociabilidade.
    se puder visite:
    http://argonautabrasil.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Realmente o poema é muito massa , como uma bela dica muito real

    ResponderExcluir
  9. Sabe... a gente vive se perdendo por aí em blogs e gente esquisita. Em temas corriqueiros. Em mais-do-mesmo travestida de novidade. Daí chego aqui e encontro uma das coisas mais legais que já li quase que sem querer. E quero mais... estou de passagem marcada para Paris. Já sei que sentirei saudades de lá. Da mesma forma que sinto saudades do Rio toda vez que volto para casa.
    Lindo post!

    ResponderExcluir
  10. Que texto bonito.

    Que legal a ideia da exposição. Gostos de coisas assim improvisadas, aco mesmo que vou usar a ideia um dia. tem mais fotos?

    ResponderExcluir
  11. Uma pena mesmo que não seja conhecido por aqui. Eu realmente amei! Primeira vez aqui e pretendo voltar!

    http://retrojovem.blogspot.com
    Espero você lá!!

    Abraço!!

    ResponderExcluir
  12. Adriano, muito bom o seu blog
    E muito lindo o teu poema.

    Parabééns.

    Bjo ;)

    ResponderExcluir
  13. É um poema lindo mesmo e não é a toa que essas palavras te tocaram. Percebe-se nelas uma força muito grande e sincera.
    abcs

    ResponderExcluir
  14. Poema lindo mesmo.Muito rico o seu blog cara.Virei fã *-*

    http://aondeasvesvao.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Bom é encontrar, mesmo se tratando de um autor antigo, alguém que defenda, de certa forma, a misantropia. Sou partidário. Não sempre, mas sou.

    ResponderExcluir
  16. E quem não tem saudades de Paris?? Mas, é isso poesia... lirismo e libertação como já disse o famoso poeta.

    ResponderExcluir
  17. E quem não tem saudades de Paris?? Mas, é isso poesia... lirismo e libertação como já disse o famoso poeta.

    ResponderExcluir
  18. Essas palavras tem profunda sabedoria... Um poema muito bonito mesmo!

    ResponderExcluir
  19. muito lindo o template do blog combina com o poema, logo eu que sou fan de poema...to seguindo amigo parabens

    http://sampanightview.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  20. Que poema lindo, nos faz acordar para vida e vivê-la!

    abraço,
    www.todososouvidos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. adorei a citação!!!


    estou seguindo-o.

    otimo fds.

    beijos



    http://cabecafeminina.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  22. é incrível como poucas e simples palavras se alinham de tal forma, resultando num poema lindo e numa mensagem inspiradora.

    ResponderExcluir
  23. O poema é ótimo, e o blog tbm... vc está de parabéns!!!

    visita lá o meu blog - www.leonidasoficial.zip.net

    ResponderExcluir
  24. Uma vez, eu li em um texto há muitos anos atrás, que falava que as melhores pessoas não estão nas ruas, onde todos podem ver. Elas estão dentro de suas casas, algumas saindo apenas pela noite para ir até ali e voltar. Eu parei pra refletir e percebi que eu sou uma dessas pessoas. E recomendo pra todos:viver em festas e shows é se banalizar.

    ResponderExcluir
  25. VIDA é só uma ... e passa mto rápido
    Cuidado para não se arrepender de toda futilidade qdo estiver no leito de morte !!!

    ResponderExcluir
  26. Sabe esse texto serve perfeitamente para a minha fase atual.

    ResponderExcluir
  27. amei o blog!!!!
    http://etcmodaetal.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  28. fikei impressionada com a qualidade do seu blog *o*
    mt lindo
    estamos seguindo :*

    ResponderExcluir
  29. Muito bom o blog...saber que você já foi á Paris (um dos meus sohos é conhecer este lugar!) me faz ficar mais e mais com vontade de visitar a "cidade-luz".

    Estou te seguindo, pois gostei daqui =)
    se puder, me siga.

    http://www.empadinhafrita.blogspot.com

    ResponderExcluir
  30. Poema maravilhoso, despeja muita verdade e realismo. Por mais que a vida não seja um mar de rosas, temos que vivê-la da melhor forma possível.

    abraço,
    www.todososouvidos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  31. Olha eu aqui de novo. Kra será que não tem nada errado no teu blog? Pois nas duas vezes que o visitei meu navegador travou, e foi so nesse blog

    ResponderExcluir
  32. Poema muito bonito mesmo cara,

    e gostei bastante do blog !

    Conheça o meu lá também,
    tema é Convergência das Mídias, Tecnologia, etc.

    http://ypsicom-uscs.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  33. Bem interresante teu blog moço..
    Beijos


    Se quiser voltar

    http://bruhbrito.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  34. Sabe expressar bem as palavras, Parabéns ... beeijos

    http://almostanlife.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  35. Que lindo seu poema, o estranho que foi lhe marcar justo o poema que tem nome desconhecido.


    Me sentimuito feliz mesmo com seus elogios as minhas palavras, muito obrigada :)
    Sempre será bem vindo ao meu blog maluco.
    beijos

    ResponderExcluir
  36. Profundo o poema..alguem,em algum lugar do mundo,está passando exatamente por isso.

    Talvez não seja saudades do lugar,talvez a saudade seja do que você viu e sabe que no Brasil as chances de encontrar algo igual sejam bem poucas.

    ;* Rafa

    ResponderExcluir
  37. Adriano,
    A própria situação em que vc encontrou o poema (ou ele te encontrou),por si só já é pura poesia.
    E a mensagem que ele passa,é linda e necessária,algo que estou aprendendo fazer.
    Vim aqui retribuir seu comentário e adorei teu blog,estou seguindo ^^
    bjss

    ResponderExcluir
  38. Lindo poema! Fico feliz que compartilhe com a gente! ^^ Que a vida não seja um estranho inconveniente mesmo! Conviver é bom mas demais ai não, né?! ^^
    Gostei de seu blog! Vou seguir! =)

    Gosto do idioma francês, acho bonito! Quero aprender! =)

    http://neowellblog.wordpress.com/2011/05/21/seul/

    ResponderExcluir
  39. Você poderia tomar a iniciativa e fazer algo semelhante algo semelhante na rua das Laranjeiras, achei a ideia muito interessante! Certa vez minha filha me mostrou um vídeo de Free Hugs, fiquei com aquilo na cabeça, chamei alguns amigos, pegamos cartolinas e saimos pela cidade distribuindo abraços grátis, foi um sucesso, e me senti mais humana...Me estendi demais, desculpe, vim agradecer a sua gentil visita, gostei demais do seu blog!

    ResponderExcluir
  40. Que vontade doida de ir num evento destes... pura arte!
    Quanto a poesia... era o que eu precisava ler hoje!
    Ando nesta fase meio amorfa de vida...

    ;D

    ResponderExcluir
  41. Belo poema...

    Apenas viva, mesmo se vc tiver pouco o que viver.

    ResponderExcluir
  42. Olá,
    posso dizer que poucas vezes li algo tão belo. Concordo quando diz que não acha isso nas ruas que anda. Não penso que veremos isso por aqui tão cedo.

    Atenciosamente, SRed!

    ResponderExcluir
  43. Paris serve de inspiração para muitas pessoas envolvidas com arte.
    Interessante isso.
    Abraço

    ResponderExcluir
  44. Me vi em alguns momentos nesta poesia. Perfeita!

    http://duo-postal.blogspot.com

    ResponderExcluir
  45. Que blog maravilhoso, eu adoro blgos literários pq. me fazem crescer, aprender mais na profissão linda e engrata que escolhi que é escrever... Não conheço muito a obra de Constantin, apenas poesias soltas, mas com essa você foi muito feliz em lembrar, por que fala de incoveniencias do nosso cotidiano, das pequenas ás grandes. Talvez você goste do meu blog, terei meu primeiro livro circulando por ai logo logo, e enfim, se qusier visite:

    http://www.pequenosdeleites.blogspot.com

    ResponderExcluir
  46. Poxa, que Blog incrível, muito bom seus textos, uma perfeição mesmo, parabens de verdade

    Estou a seguir-te
    quando puder passa lá no meu tbm ;P

    http://essenciaego.blogspot.com/

    Abrção

    ResponderExcluir
  47. Ah!
    Grandes escritores homenageados em cartolinas escrotas dispostas em desleixo pelas ruas.
    Aí sim a arte fez sentido. Sem toda a pompa de praxe, só o que interessa mesmo.
    Vou até procurar de quem foi a idéia. Dependendo, virei fã desse cara.

    ResponderExcluir
  48. Acabei de me apaixonar – pelo poema, blog e post. Meu lema (e o de meu Lugarzito) é isso: encher-me (e de preferência aos demais) de de-repentes brilhantes, de acasos enamorantes, de topadas providenciais. De felicidades possíveis, de aproveitamento de cada "quando possível". Beijos encantados, Adriano. Sua escrita é uma bonança. Sucesso! Muito Paris para você!

    ResponderExcluir

Comente à vontade, contanto que prime pelo bom uso do imperativo categórico Kantiano: "Não faça com os outros que aquilo que você não gostaria que fosse feito com você";. Assim Seja. Pelos Séculos dos Séculos. Amém.