segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

O PESO NO CORAÇÃO DE J. D. SALINGER

O homem imaturo é aquele que quer morrer gloriosamente por uma causa. 
O homem maduro contenta-se em viver humildemente por ela.
[J. D. Salinger]

Morreu Jerome David Salinger. Morreu na quinta passada, 27 de janeiro, quando eu ainda estava cumprindo minha odisseia sertaneja no Vale do Jequitinhonha, em Minas. É Estranho chegar em casa e saber que alguém que se admira tanto tenha falecido e o assunto, de certa forma, já está frio, ou morto. Mas este blog não pode abrir mão de algumas linhas em respeito àquele que é um dos secretos patronos deste espaço.
*
Não sou da geração que leu J. D. Salinger com surpresa, ou mesmo da geração que salingerse espantou com seu modo de vida. Quando conheci a obra de Salinger, “O Apanhador no Campo de Centeio” já alcançara o panteão da literatura como clássico irrefutável e sua vida de eremita já não era motivo de surpresa para ninguém. De Salinger, o que mais marcou a minha geração foi o mistério. Qual peso aquele homem traria no coração para se isolar tão radicalmente da multidão dos outros?
*
Todos nós precisamos de algum período de solidão. Quem nunca exclamou à irritante presença de outrem: “quero ficar sozinho!”. Lembro-me de um verso do poeta maior da lusofonia, o universal Fernando Pessoa: “Vão para o diabo sem mim,/Ou deixem-me ir sozinho para o diabo!/Para que havemos de ir juntos?”. Quase posso ouvir J. D. Salinger repetindo este verso, como um mantra, em seu casebre montanhês de New Hampshire, “para que havemos de ir juntos, para que havemos de ir juntos...”.
*
Tanta coisa já foi escrita sobre a morte e a vida de Salinger, que não pretendocatcher me estender nesta postagem. Perdemos um dos últimos autores de algum clássico literário, só isso já bastaria dizer sobre ele. Lembro-me de uma comparação que li no Estado de Minas, por ocasião de um aniversário de publicação do “Encontro Marcado” de Fernando Sabino. O texto colocava as duas obras em pé de igualdade, não em termos de literatura, mas no que tange à influencia que estas obras foram capazes de exercer em consecutivas gerações de jovens. É incrível como estes dois romances povoam o imaginário de tão diversos grupos há tanto tempo. Li e amei as duas obras, porém sempre preferi o solipsismo debochado de Holden Caulfield à boemia intelectual do nosso Eduardo Marciano.
*
Adeus Salinger, você vai, mas fica o peso do seu coração.
*
***

A leitura de “O apanhador no campo de centeio” é, sem sombra de dúvidas, a mais importante de minha juventude. Tanto que na época, ainda na fina flor da juventude [tinha dezoito anos], escrevi um poema sobre Holden Caulfield, protagonista do clássico de Salinger. Cheio de vergonha, partilho o texto agora. É minha pobre homenagem a Salinger.


***


Holden Caulfield
Holden Caulfield não gosta de praticamente ninguém
Mas quando gosta é de verdade
.
Holden Caulfield não é de jogar conversa fora
Mas sempre quer ter alguém para conversar


Holden Caulfield não nasceu para bajular
E se bajula, é porque a pessoa merece


Holden Caulfield mente compulsivamente
Mas só conta mentira quando é necessário


Holden Caulfield é muito mulherengo
Pelo que sei só ama uma mulher


Holden Caulfield não gosta de estudar
Mas só porque na escola todos são uns chatos


Holden Caulfield adora fumar, beber, e se divertir até tarde
Mas só porque é menor de idade
.
Holden Caulfield é um cara meio estranho
Mas só aos olhos de quem é “normal”


Holden Caulfield só quer uma cabana na floresta
Um emprego num posto de gasolina, porque é só isto que lhe é necessário
.
Holden Caulfield só quer que todos lhe esqueçam
Pelos menos por algum tempo
.
Holden Caulfield só quer ser
The Catcher in the Rye, assim como eu


***

Pax Vobiscum Amicis
Até a próxima!

30 comentários:

  1. Muito boa a interpretação do texto.
    Confesso não conhecer J.D. Salinger, vou procurar buscar mais sobre ele!
    Seguindo seu Blog!
    Abraço e sucesso!

    http://yaseryusuf.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. A partir desse seu post, fiquei curiosa a respeito de Salinger, vou procurar algo a respeito dele.
    Incetivando a leitura, isso é excelente!

    ResponderExcluir
  3. Confesso que nunca li um livro sequer dele, mas seu texto me incentivou a procurar saber mais a respeito. Parabéns pela homenagem, ficou ótima!

    ResponderExcluir
  4. Ele ficou cinquenta anos isolado... e sua fama foi toda arquitetada antes desse exílio voluntário.
    Ele tinha lá seus motivos.
    Que descanse em (ou sem?) paz o peso de seu coração!

    abç
    Pobre Esponja

    ResponderExcluir
  5. Ó Apanhador no Campo de Centeio foi um dos melhores livros que já li.

    ResponderExcluir
  6. Nossa, não conhecia esse cara.
    A frase do inicio ,me fez refletir muito ..
    Desde pequena sempre quis morrer 'gloriosamente por uma causa' como você citou ..
    Bom, pra mim a solidão é um presente, adoro ficar sozinha, deixo de aceitar convites, para ficar comigo mesma ..
    Mas achei a poesia dele parecida com a de outros autores ..
    Enfim, que ele fique em paz onde quer que ele esteja ;)

    http://caminhos-da-erika.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Otimo blog, parabéns!

    ResponderExcluir
  8. rapazzzz ehh primeiramente aceita troca de link's... achei o seu blog e suas ideias parecidas com a minha...
    já li o Encontro Marcado e achei, além de muito denso, muito influente nos outros que li: realmente ele influenciou os demais. Ja ao outro comprarei depois do seu post...
    Abraços
    http://magazineope.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Taí, pra quem acha que ficar na frente do computador não é saudável enganam-se. Dá para adquirir muitos conhecimentos. Nunca tinha ouvido falar deste autor, mas da forma como você coloca dá uma vontade de buscar mais. Sabe dizer as coisas certas na dose certa!
    Parabéns pelo blog e sucesso

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia o autor.
    Mas fiquei impressionado. Primeiro, o impacto na linha fina do post, que sabedoria, maturidade sempre será viver, e não morrer,em benficio de uma causa. O que torna um autor espetacualr é o fato dele escrever sobre o cotidiano, o obvio, com as palavras que não ousamos pronunciar. Já a reflexão sobre a "solidão" me emocionou.
    Enfim... Ótimo post, parabéns pelo blog, segunda vez que passo por aqui e espero voltar outras vezes!
    http://identidade-cultural.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. EU nunca li,mais confesso que depois de ter lido seu post,fiquei muito curioso diria até mais que isto,vou ler com certeza otimo post.


    http://contemporaneoeindiscreto.blogspot.com/2010/02/confessions_01.html

    ResponderExcluir
  12. Gostei, vou procurar sobre J.D. Salinger.
    Não conhecia ele!

    ResponderExcluir
  13. Eu já ouvi falar desse livro dos campos de centeio( dizem que é um livo muito bom),mas não me lembro de ter ouvido falar do J.d. Salinger

    ResponderExcluir
  14. Muito seu blog, e principalmente esse texto sobre Salinger. Você escreveu de forma bastante significativa um pouco de sua biografia!

    ResponderExcluir
  15. Nunca li um livro desse cara, mas mto se falou de sua morte, sua obra deve ter algum valor.

    ResponderExcluir
  16. O seu jeito de escrever nos remete a curiosidade, ja que assim como os demais não conheço o J.D Salinger, mas vou procurar saber, só por sua causa.. rsrsrs

    ResponderExcluir
  17. WOOOW
    o Holden Caulfield parece eu xD
    euri
    Não conheci Jerome David Salinger.. mas mew ele viveu quase 100 anos D:
    incrivel~
    Seu Blog é muito bom, pra estudantes dessa arte... literatura e afins.. *-*

    Kern Storge ~
    www.kernstorge.blogspot.com
    Teen-Life ~A Flor-da-Pele~
    So thank's

    ResponderExcluir
  18. não o conhecia, mas confesso q tava precisando de palavras assim..
    nossa...
    caiu como aquele sonho inesperado...
    q sonhasmoa prontamente ao acordar

    ResponderExcluir
  19. Eu ouvi falar muito pouco desse autor, e depois de ler seu post, dei uma pesquisada na net e realmente foi uma perda muito grande!

    http://cerebro-musical.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Também meu doeu a morte de Salinger. A obra dele me marca profundamente.
    Ótimo texto, impecavelmente bem escrito. Parabéns.
    www.medeirosalencar.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. Nossa amei...
    e é realmente vdd, desperta curiosidade eu não conhecia, vou procurar saber

    bjos

    locador, locatário e ficador
    http://joycebc.blogspot.com

    ResponderExcluir
  22. Não conhecia esse autor. Mas achei interessante. Gosto desse estilo.
    Abraço

    ResponderExcluir
  23. O apanhador no campo de centeio foi uma leitura importante na geração que descobriu a contracultura, um personagem qeu ia contra os ideias de sucesso norte americanos... falando sobre grandes escritores que se isolam , lembrei de raduan nassar !
    parabens pelo cuidado com o blog
    ibere

    ResponderExcluir
  24. Grande autor de um livro só, mas brilhante!!!... Devia ser uma pessoa interessantíssima, né... que descanse em paz! Valeu!

    ResponderExcluir
  25. Excelente o texto. J.D Salinger era gênio e assim como todo gênio pirou e viveu a margam da sociedade!

    ResponderExcluir
  26. O conteúdo do seu blog é riquíssimo de cultura!!! Parabéns

    ResponderExcluir

Comente à vontade, contanto que prime pelo bom uso do imperativo categórico Kantiano: "Não faça com os outros que aquilo que você não gostaria que fosse feito com você";. Assim Seja. Pelos Séculos dos Séculos. Amém.